É uma denúncia de 78 páginas que descreve ao pormenor alegados crimes praticados por inspectores da Direcção Central de Investigação ao Tráfico de Estupefacientes.

O extenso dossiê, a que o Correio da Manhã teve acesso, terá como destino a Procuradoria-Geral da República. Nesse documento são mencionadas várias denúncias de corrupção: pagamentos em droga aos informadores, apropriação de dinheiro do tráfico, entre outras.

O autor da denúncia nomeia e acusa 27 colegas
da Judiciária por corrupção e envolvimento no tráfico. Ainda de acordo com o Correio da Manhã, o alegado inspector identifica também perto de 30 embarcações que fazem transporte de droga na costa com a conivência da PJ.

A Procuradoria-geral da República garantiu ao jornal que ainda não recebeu o documento. O Ministério da Justiça disse que desconhece o assunto. O director nacional da PJ sabe da situação, mas vê esta denúncia como uma tentativa de desestabilizar a estrutura de combate ao tráfico de droga.